Música pode reduzir o estresse antes da cirurgia

Comentar

Comportamento
destaque_cirurgia

Muitos pacientes estão ansiosos antes da cirurgia e têm níveis aumentados de hormônios do estresse, o que pode afetar a recuperação após a cirurgia. Geralmente, estes pacientes recebem medicamentos benzodiazepínicos, como o midazolam, para acalmá-los antes da cirurgia. Agora, estudo da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, mostrou que a música pode ser tão eficiente quanto medicamentos para acalmar estes pacientes.



O estudo incluiu 157 pacientes adultos que receberam 1 ou 2 miligramas de midazolam (80 pacientes) injetados três minutos antes do uso de um bloqueio de nervo periférico, ou ouviram a série de música Weightless da Marconi Union em fones de ouvido com cancelamento de ruído (77 pacientes) pelo mesmo período de tempo. A faixa de música é considerada uma das músicas mais relaxantes do mundo.

A música funcionou tão bem quanto um tranquilizante antes de os pacientes receberem um bloqueio de nervo periférico antes do procedimento, disseram os pesquisadores. O bloqueio do nervo periférico entorpece uma área específica do corpo onde a cirurgia está sendo realizada.

Reduções na ansiedade foram semelhantes em ambos os grupos de pacientes, mas os pacientes no grupo de música foram menos satisfeitos do que aqueles no grupo de midazolam. Isso pode ser porque os pacientes não foram capazes de selecionar sua própria música.

Tanto pacientes quanto médicos disseram que era mais difícil se comunicar quando a música era usada para acalmar os nervos, provavelmente devido aos fones de ouvido.

De acordo com os pesquisadores, as drogas, apesar de eficazes, podem causar efeitos colaterais, como problemas respiratórios, distúrbios do fluxo sanguíneo e até níveis aumentados de agitação e hostilidade. Já a música, por sua vez, pode ser oferecida como uma alternativa ao midazolam antes que os pacientes recebam um bloqueio regional dos nervos e sem esses efeitos colaterais indesejados.

No entanto, os pesquisadores ressaltam que mais estudos são necessários para avaliar se o tipo de música, ou como ela é oferecida, oferece vantagens sobre o midazolam que superam o aumento das barreiras de comunicação.

Fonte: Regional Anesthesia and Pain Medicine. DOI: 10.1136/rapm-00115550-198813020-00005.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>